terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

“Não quero ser feliz por medo de sofrer.”

Pode parecer um paradoxo e é, essa frase. Ela é uma crença não explícita e oculta.
Muitos de nós constroem esse paradigma sem perceberem que o estão fazendo.
A gente vai vivendo e passando por “poucas e boas” e quando assusta está decidindo o próprio destino de acordo com esta filosofia vã.

“Não vou casar porque posso divorciar.”
“Não queremos ter filhos porque eles podem não dar certo na vida e...”


Deixamos de fazer certas coisas porque não teremos controle sobre elas.
É claro que a vida não é um cavalo selvagem que uma vez domado obedece aos comandos.
O tempo todo brotam novas circunstâncias que exigem atenção na nossa direção da vida. Faz parte!

Viver é triunfar, mas o fracassar também.
Viver é acertar, mas o errar também.
Viver é ser feliz, mas o sofrer também.

É a vida!

Vivamos, comamos e bebamos, mas amanhã prestaremos contas ao Criador.
O importante é viver a vida com critérios eternos adquiridos na Bíblia!
É certo que o justo verá a glória de Deus e terá abençoada a sua casa.

“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário