quinta-feira, 6 de maio de 2010

O que for velho não servirá

Tem gente que tem mania de guardar coisas velhas em casa.
Revistas, embalagens, eletrodomésticos sem uso, caixas, papéis de presente, jornais, brinquedos estragados, fios, roupas que não cabem mais ou fora de moda e uma infinidade de trecos surreais.

Por quê?

No fundo creio que é uma questão de medo de vir a precisar e não ter mais. É como se o fato de guardar as coisas desse segurança num caso de emergência. Penso que a pessoa que não consegue jogar fora o velho ou passar adiante o que não precisa mais, na verdade é uma escrava do seu passado.

Deus nos chama para viver em novidade de vida. Ser uma nova criatura. Andar por um novo e vivo caminho. Virar a página!
Imagine-se lendo o mesmo jornal. Usando a mesma roupa. Fazendo todas as coisas sempre da mesma maneira. Preso no tempo e no espaço literalmente. Acordando no mesmo dia.

Li recentemente o depoimento de uma pessoa famosa que já morreu no qual ela chorando confessa a um amigo sua infelicidade por estar condenada a viver em uma sociedade luxuosa todos os seus dias no mesmo ir e vir de um conto de fadas que não existem. Ela disse:
- Eu sei aonde estarei todos os dias da minha vida.

Freud não sei se explica, mas eu arrisco a afirmar que quem guarda trecos sem utilidade tem uma profunda dificuldade em perdoar e seguir com a vida. É um colecionador emocional de ossos!

"Comereis o velho da colheita anterior e, para dar lugar ao novo, tirareis fora o velho." Levíticos 26:10

Nenhum comentário:

Postar um comentário