terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Como lidar com a rejeição?

Este assunto é doloroso, pois até Jesus, sem motivos, foi rejeitado pelos seus. Imagine então as nossas condições e quais são as probabilidades de frequentarmos, de vez em quando, o paredão e descobrir depois, quem votou contra a nossa vida preciosa, e sairmos ilesos "Egocionalmente"?

Lembro de uma vivência minha na infância, na época em que a Internet não existia, que marcou bastante o meu "Ego". Uma menininha boba disse que não brincaria comigo e recitou aquele poema horrendo da bruxa filosofa Sra. Hkansfkjbweiyfg que diz: "Um é pouco. Dois é bom e três é de mais!" Foi um atropelamento na minha alma, pois eu era a quarta. Nunca seja o quarto em nada na vida. As medalhas recebidas no pódio são de ouro, prata e bronze! Mentiram para nós quando nos ensinaram que o importante é competir! O importante é vencer com ética nas áreas importantes da vida! Ser uma família amorosa e honesta. Ser um bom pai. Uma boa mãe. Uma boa pessoa. Um bom empreendedor e acima de tudo, um bom servo de Deus.

Descobri recentemente que nossos corações são mais fortes que os nossos Egos! Verdade! Nossos corações continuam batendo depois de uma cotovelada, mas nossos Egos ficam em frangalhos com um beliscão. Já dizia o pregador: Tudo é vaidade!

Somos seres altamente insufláveis em nossos Egos! Não conheço surtado que se imagine pouco vulto. Geralmente ele é um grande imperador, Pelé ou Jesus Cristo. O que vou contar agora é triste, mas cômico:

O Maradona, ex-jogador de futebol argentino, foi internado, algumas vezes, para tratamento de vícios, mas numa delas, infelizmente, em um tipo de hospício. Os pacientes diziam uns para os outros quem eles eram. Dava de tudo que era personagem do Olimpo dos famosos e todos acreditavam, mas quando chegou a vez dele, Maradona, de dizer quem era e ele disse, nenhum louco acreditou! Ele ficou abalado com aquilo, Pode? Ri bastante, mas sei que minha risada foi politicamente impossível de segurar. Estava assistindo ao filme da sua vida. Vale a pena ver!

Bom, a questão que estamos abordando é a rejeição. Mas quero demonstrar que o lugar em que mais saímos feridos em nossas almas, muitas vezes, é o no nosso Ego. Quais são as feridas do nosso Ego?
Penso que estão intrisecamentes enraizadas em nossa racionalidade sobre a vida. O que vamos pensar sobre nós e nossas capacidades e habilidades. Entendo que toda a nossa vida intelectual será afetada por essas feridas. A nossa auto-estima é uma coisa do nosso Ego. Uma pessoa com o Ego ferido pode transforma-se em um monstro, um trator, um grande empreendedor, dependendo do viés da vida que escolher ou um "nada" medíocre pisado por todos. Aquele marido sem voz ativa. Aquela mulher passiva. O funcionário subserviente que nunca é promovido. Aquela pessoa que começa projetos, mas não tem segurança para terminá-los e, etc. Conhecemos ou não, casos semelhantes e pessoas assim?

Agora, vou transcrever o texto de como Jesus ensinou a lidar com a rejeição:

"E em qualquer cidade ou aldeia em que entrardes, procurai saber quem nelas seja digno, e hospedai-vos aí até que vos retireis.
Ao entrardes numa casa, saudai-a.
Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz, se não for digna, torne para vós a vossa paz.
Se ninguém vos receber, nem ouvir as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés."  Mateus10:11-14

Gente, Jesus não era "bonzinho"! Ele era justo, firme, decidido, piedoso, misericordioso, mas no limite saudável para a psiquê, pois sua visão das coisas, era para o interior da verdade dentro dos homens. Jesus era focado na sua missão e nenhuma rejeição humana iria lhe impedir de chegar lá, na glória que antes ele tinha com o Pai! Enfrentou até a morte de cruz, mas ressuscitou em grande estilo. Nunca se perdeu em sua personalidade! Sempre soube e viveu como o Filho do Deus Vivo, mesmo que limitado no tempo e espaço. 

- Vamos sacudir o pó dos nossos Egos e partir para a vida, sem mendigar aceitação daqueles que não nos querem! Podemos viver sem o amor de pessoas que nos rejeitam!Creia nisto!Faça como Cristo!

3 comentários:

  1. Bispa Gisela,
    Gostei muito desse texto, pois tudo na vida tem limites.
    Aprendi muito e fui muito curada em minha alma na Sara.
    UMA COISA é fato,só Deus é bom como dizia Jesus.
    Tenho comigo que devemos amar o nosso próximo sem esperar nada em troca, devemos seguir o exemplo de Jesus, o que o outro faz de mal em nossa direção não é problema nosso.
    Para mim essa é a maior liberdade, uma liberdade que trás paz, justiça e alegria interior.
    Por isso Amem independente de qualquer reconhecimento por parte do outro.
    A melhor e a maior recompensa é tomar posse de um amor agape, amor incondicional.Sou muito feliz depois que fiz essa escolha em minha vida.Bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, me emocionei mto com o texto.
    Meu marido à alguns meses nem olha na minha cara, faz um mes que nem temos relações, e só vive no bar.
    Desde o inicio sempre me fez sentir a mulher mais rejeitada do mundo...desde então faz 5 anos que cada vez mais me massacro por isso....estou quase acreditando.
    Nos ultimos dias pensando, resolvi dar um fim a tudo, ja que quando me expresso, falo o que sinto pra ele, nem faz diferença......
    Então desisti, nem tenho mais coragem de me expressar
    Estamos tentando ter um filho...nem sei como, ja que pela situação não tem como.
    Mas, meu eu diz que não é o certo, seguir minha vida sozinha é uma coisa ja com filho é totalmente diferente.....
    me de um conselho, por favor....nem sei mais o, que fazer....tenho apenas 27 anos e mto o viver....enfim...encontrar alguem que me mereça.....aguardo o contato.....bjim

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Vivi um relacionamento idêntico ao da pessoa que deixou o depoimento logo acima; a diferença é que não apenas uma mesa de bar era mais importante que eu. Costumava dizer pra ele que eu perdia até pra comercial de margarina; nada era menos importante que minha pessoa.
    Eu tive uma formação religiosa/cristã, e mesmo não fazendo mais parte de igreja nenhuma,eu tinha FÉ!
    Muitas vezes, sentada sozinha no parquinho do condomínio, até mesmo já grávida, passava horas chorando e pedindo à Deus que recolhesse cada lágrima que eu derramava e convertesse em riso um dia...
    Nunca deixei de crer! Eu estava desempregada há 3 anos e aos 3 meses de gestação comecei a descobrir as traições dele, que se estenderam até o último dia do nosso casamento.
    Diante de tanto dissabor, eu aprendi que às vezes a única alternativa é mesmo ser forte. Percebi que clamar surtia mais efeito que reclamar. Comprovei que o choro pode durar muitas, muitas noites, mas como Deus não é homem para que minta, de fato, a alegria vem ao amanhecer.
    Foram cerca de 4 anos de sofrimento intenso; incessante.
    Dia 01/12/11, após uma séria confusão, eu tirei coragem de onde não havia e decidi pôr um fim naquele julgo. Fui embora!
    Nada doeu e até hoje ainda dói, quanto a rejeição dele. Saber que lutei tanto por nós, enfrentei tantas adversidades, fechei os olhos para tantas realidades em nome da esperança de um dia voltarmos a ser felizes em família... (Ainda sinto-me embargada ao tocar neste assunto)...mas enfim, saber que NÃO FIZ FALTA, é invariávelmente o que mais maltrata!
    Eu com certeza endosso por experiência própria, o que a bispa falou a respeito do "egocional". Tudo faz parte do processo da separação! é posse!

    ResponderExcluir