sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Por que deixamos quando deveríamos ter permanecido?

Por que?

Por que deixamos lugares especiais?
Por que deixamos uma missão?
Por que deixamos amigos?
Por que deixamos coisas importantes?
Por que deixamos caminhos?
Por que deixamos quando deveríamos ter permanecido presentes?

Jesus disse, certa vez, em oração ao Pai, que não havia perdido nenhum dos quais havia recebido DEle, mas somente o filho da perdição, Judas. Tenho refletido nesta afirmação do Senhor que muitas vezes me passou desapercebida e entendido mais sobre a importância de ser fiel, constante, digna e integra ao liderar vidas, nesta vida.
Jesus estava para morrer quando orou daquela forma e sabia que seus discípulos se sentiriam deixados para trás, e, sendo assim, depois de ressuscitar e se apresentar à eles, disse: eis que estou convosco até a consumação dos séculos.

Linda é a capacidade de partir sem deixar e vergonhosa a fraqueza de deixar sem partir. Partir é cumprir a missão! Quem é fiel sobre o pouco será colocado sobre o muito, mas quem erra neste padrão e enterra o tesouro ficará sem nada. Fé!


Nenhum comentário:

Postar um comentário